sexta-feira, 6 de outubro de 2017

Kimchi



Meu kimchi está quase acabando e eu ainda não dei aqui a receita. É tanta coisa acontecendo, que sou estou dando conta de ir contando no instagram (acesse meu perfil clicando aí nas fotinhas do lado direito) . Então, antes de atualizar o blog, vou dar a receita que aprendi no blog Testado e Aprovado (veja aqui a receita) : 

Lá está tudo explicadinho com fotos do passo-a-passo, do jeito que foi feito na Coreia.  
Antes, pra quem não sabe, kimchi é uma conserva fermentada coreana feita de vegetais bem apimentados, especialmente acelga.  Depois de pronta, pode ser consumida fresca, mas eu prefiro bem fermentada. Quando mais tempo passa, melhor e mais apurado fica o sabor. Eu como até no café da manhã.

A receita com pequenas adaptações (Receita original do blog Testado e Aprovado)   




Não sei se dá pra entender, mas este é também
um tipo de selo d´água - o vidro com a conserva
dentro de um vidro maior com água e uma tigela emborcada
na água e encostada na boca do vidro. O gás escapa
mas o oxigênio não entra - evitando, assim, que mofe 

Kimchi de acelga

1 acelga bem grande, com cerca de 2,7 kg
12 xícaras de água fria
1 e ¼ de xícara de sal grosso

Depois de cinco horas
1 xícara de água
1 e ½ colher (sopa) de farinha ou fubá de arroz dissolvida em 2 colheres (sopa) de água

Temperos
1 cebola média cortada em 4 e depois em finas fatias
1/4 de maçã verde média descascada e sem as sementes
5 dentes de alho grandes
2 colheres (chá) de gengibre fresco ralado
2 colheres (sopa) de molho de anchovas ou molho de peixe (eu usei soro de kefir de leite)
2/3 de xícara de pimenta vermelha em flocos (pode ser comprada em casa de produtos orientais – peça pimenta para kimchi)
3 colheres (chá) de açúcar
1 colher (sopa) de gergelim
2 xíc. de nabo descascado e cortado em filetes
2 xíc. de cebolinhas cortadas em filetes2 xícaras de nabo descascado e cortado em filetes
2 xícaras de cebolinhas cortadas em filetes


Se houve folhas rasgadas e amassadas por fora, descarte até que a acelga fica bem limpa. Lave inteira, sem cortar. Corte em 4 pedaços de comprido. Retire parte do miolo de cada quarto, deixando um pedaço para manter as folhas juntas.
Numa bacia grande, coloque a água e ¾ de xícara de sal. Misture até dissolver. O restante do sal, divida em 4 partes, uma para cada pedaço de acelga. Vá abrindo as folhas e espalhando o sal entre elas, passando principalmente na parte mais grossa.
Mergulhe os pedaços na água salgada, apoie um prato sobre a água e coloque por cima um peso para manter a verdura submersa (pode encher a panela de água pra fazer peso).
Deixe assim por cerca de 5 horas ou de um dia para outro.
Depois de cinco hora ou no outro dia 
Escorra os pedaços de acelga e enxague bem, umas três vezes, até sair bem o sal. Deixe escorrendo num escorredor.
Faça agora um mingau com a farinha de arroz. Ferva a água e junte a farinha dissolvida. Mexa bem, em fogo médio,  até engrossar. Desligue o fogo e espere esfriar.  
Faça o tempero: bata no liquidificador ou no processador ¼ da cebola, o pedaço de maçã, o alho, o gengibre e o molho de anchovas. Na mesma bacia onde a acelga ficou de molho, coloque o mingau de arroz frio, a pimenta, o açúcar e a mistura do liquidificador. Misture tudo muito bem. Junte, nesta mistura, o nabo, a cebolinha, a cebola e o gergelim. Em seguida, vá passando (de preferência usando luva) esta mistura apimentada entre as folhas de acelga. Reserve ¼ da mistura para cada quarto de acelga. Cubra com o resto do molho e feche bem. Pode guardar na geladeira para que vá fermentando aos poucos. Depois de uma semana estará muito bom. Mas se quiser pode consumir fresco que já é delicioso.

Isto agora é para a fermentação em temperatura ambiente, do jeito que faço.
Coloque a acelga com os temperos num vidro grande com sobra de uns 4 dedos – porque vai inchar com a fermentação. Coloque uma tampa com air lock (válvula para fermentação) ou selo d´água e deixe 3 ou 4 dias. Quando não sair mais gás, quando parar de borbulhar, pode fechar bem e guardar na geladeira.  Pode usar também uma luva de latex, como mostro aqui. Escolha seu método preferido.

Depois de fermentado, se quiser, pode picar a acelga e colocar em vidros menores para guardar na geladeira.


Rende: 4 vidros de 1 litro 


8 comentários:

Anônimo disse...

Tá lindo Neide! Este último, está no pote da Companhia? Me parece muito cheio; com a dilatação por conta da fermentação ele pode vazar pelo airlock.
Bj Fernando gold

diu disse...

Faço a muit tempo Neide eu coloco camarão em conserva compro na loja Coreana do BOM rETIRO,tem um de siri que posso te mandar a receita muito simples só tem que ser fresquinho vivo.

diu disse...

Faço a muit tempo Neide eu coloco camarão em conserva compro na loja Coreana do BOM rETIRO,tem um de siri que posso te mandar a receita muito simples só tem que ser fresquinho vivo.

Bruno Oliveira disse...

Olá neide! Eu uso alga Kombu batida com água no lugar do molho de peixe/anchovas/camarão das receitas originais. Fica ótimo também!

Uakari disse...

Aviso: O kimchi tem o poder de empestear a geladeira (e a casa, quando a geladeira é aberta) com seu cheiro forte. Muitos coreanos têm, por isso, uma geladeira à parte só para kimchi e banchan (acompanhamentos e entradas condimentados).
Sugestões de consumo (que eu prefiro ao kimchi puro): Kimchi bokumbap (arroz frito com kimchi) ou Kimchi chigae (ou 'ligué' em português, ensopado de kimchi).
Experimente fazer kimchi de mini nabo. É ótimo para acompanhar pratos à base de curry.

David Kim.

Uakari disse...

Quis dizer 'tigué' (Kimchi chigae) no comentário acima.

Neide Rigo disse...

Obrigada pela dicas, David!

Fernando, não. Este foi aquele que já tinha feito no meu pote com selo d´água, que é do tamanho do seu. Mas depois eu passei um pouco para um pote menor para aliviar o grande. Ficou uma delícia!

Diu, quero, sim.

Boa dica, Bruno!

Um abraço,n

Neide Rigo disse...

Obrigada pela dicas, David!

Fernando, não. Este foi aquele que já tinha feito no meu pote com selo d´água, que é do tamanho do seu. Mas depois eu passei um pouco para um pote menor para aliviar o grande. Ficou uma delícia!

Diu, quero, sim.

Boa dica, Bruno!

Um abraço,n