terça-feira, 2 de maio de 2017

Mandioca puba de geladeira. Bolo de massa puba

Velhos e bons tempos aqueles em que eu conseguia postar aqui no Come-se todos os dias. Não consigo mais, por isto peço a gentileza de me acompanhar também no instagram, pois lá as coisas continuam aparecendo em tempo real. Claro, muito mais dinâmico e eu sei que isto é bom para alguns mas ruim para outros que gostariam de se aprofundar. Em compensação, tem muito mais assunto. Para acessar o instagram caso não tenha conta, é só vir aqui no blog e clicar aí do lado direito nas fotos. Ou acessar diretamente:  https://www.instagram.com/neiderigo/. Você pode manter a página no seu celular e de vez em quando dar uma espiada pra ver se tem novidades.

Bem, mas quis vir aqui falar de uma descoberta que achei fantástica. Pode ser que não seja descoberta nenhuma para o resto do mundo. Vai ver que todo mundo já sabia só eu que não. Mas acredito que não tenha tanta gente assim que esquece dois pacotes de mandioca na geladeira por tanto tempo. Na verdade, já tem um mês que eu poderia ter jogado fora as mandiocas embaladas a vácuo, mas fiquei intrigada depois de ver que os pedaços se mantinham intactos. Foram amolecendo mas sem perder a cor. Estavam imersos em água os pedaços e ali foram fermentando. Ontem, quando resolvi abrir, os pedaços estavam quebradiços, moles. O cheiro estava ácido mas agradável. Tentei quebrar um pedaço e ele se esfarelou. Claro que imediatamente pensei na mandioca puba - deixa-se a mandioca imersa em água de rio ou parada (dentro de tanques) por cerca de uma semana, restando raízes moles, pubadas e com cheiro bem forte  - passadas em peneiras e espremidas são torradas pra virar farinha d´água ou a massa é usada para fazer bolos. Foi o que fiz: um bolo simples. Só não usei farinha de trigo. Não peguei receita, mas fui anotando a que fiz. Achei que deu bem certo.

Então, se você quer pubar uma mandioca sem o risco de ficar super fermentada e com cheiro forte, faça a pubagem assim, na geladeira, dentro de água. Vai demorar uns meses, mas vale a pena. E você pode comprar os pacotes fechados e ir apalpando os pedaços pra ver se já estão amolecidos - sem se preocupar com a validade.

Vencidas há mais de três meses. 
Acho que poderia ter reduzido as mandiocas a uma massa socando num pilão ou passando numa máquina de moer carne (não é tão mole a ponto de passar num espremedor de batata ou peneira). Achei mais fácil bater no processador e deu certo. Transformou-se numa massa à qual fui juntando os outros ingredientes.

Segue a receita e você vai entender.  


Nhac! 


Bolo de massa puba de geladeira

500 g de mandioca puba
3 ovos - claras em neve
1 xícara de açúcar
200 ml de leite de coco
100 g de manteiga
1 pitada de sal
1/2 xícara de coco ralado
1 colher (sopa) de fermento químico
1 pitada de erva-doce

Bata a mandioca puba no processador até formar uma massa lisa. Junte as gemas, o açúcar, o leite de coco e a manteiga. Bata bem. Passe para uma tigela, junte o coco ralado, o fermento e a erva-doce. Misture bem com uma colher. Adicione as claras em neve e incorpore delicadamente. Coloque numa forma untada e enfarinhada com farinha de mandioca fina. Leve para assar em forno médio por cerca de 40 minutos ou até ficar dourado e ao espetar um palito no centro da massa ele saia limpo. Se quiser, faça uma calda para dar brilho: leve ao fogo 1/2 xícara de água e 50 g de açúcar. Enquanto espera ferver, misture suco de um limão rosa com 1 colher (chá) de araruta em pó. Despeje na calda, espere espessar e desligue o fogo. Despeje sobre o bolo, espere esfriar e sirva.

Rende: 10 porções

4 comentários:

CamomilaRosaeAlecrim disse...

Parece delicioso, ficou lindo! Eu não conhecia a receita!
Beijos!
CamomilaRosa

Luciene Piana disse...

http://www.aromasesabores.com/2011/08/casca-de-tangerina-seca-e-curada-para.html

OLÁ Neide , lembrei de voce ! bjs

Maria das Graças disse...

Neide, voltei à minha infância e até senti o cheiro da carimã que é a massa da mandioca (com a qual se faz a farinha) fermentada, que aqui no Rio é chamada de massa puba. Era o meu bolo preferido e o da minha mãe era delicioso.
A massa que você fez foi com o aipim (como se diz aqui no Rio) ou macaxeira como se diz no Ceará?

diu disse...

Neide eu faço a minha massa puba a tempos,mais esta podre que deu certo é mais fácil,a partir de agora vou deixar apodrecer la no frezz,menos trabalho.