quarta-feira, 18 de julho de 2007

Pão com fermentação natural

Acabaram de sair do forno

Houve uma época em que virou moda o tal “fermento de cristo”, que fraternalmente era presenteado aos amigos (ou inimigos, já que é um presente de grego quando não se o deseja). Nada mais é que um fermento natural como tantos outros, feito de água e farinha. Alguns começam com água de imersão de uvas passas, figo seco, farelo de trigo ou de centeio, sempre com a finalidade de extrair mais bactérias e leveduras formadoras de gás, presentes naturalmente nestes alimentos e também na farinha de trigo. Não importa, o princípio é o mesmo embora os nomes variem: chefe, madre, isca, pé de massa, fermento de cristo. Uma cultura de lactobacilos e várias espécies de leveduras do gênero Saccharomyces. Isto é o fermento artesanal (ou "natural", embora o fresco, de padaria, e o desidratado também o sejam). Minha avó guardava sempre uma bola de massa fresca dentro da farinha que seria usada no próximo pão. É também um jeito de manter viva a isca.

Fazia tempo que meus pães com fermentação natural não ficavam bons. A última vez foi quando fiz para um jantar – vejam as fotos, até que ficaram bem bons. Depois começou a esfriar o tempo, acho que as leveduras se encapsularam, eu enjoei, alimentá-las e acredito que o próprio álcool formado foi matando a cultura. Elas estavam fracas. Mas não desisti. Voltei a me dedicar e passei a reformar constantemente o fermento até que voltasse a borbulhar. E também dei às leveduras tempo e temperatura adequadas para se desenvolverem, coisa que não vinha fazendo. Aqui não pode ter pressa. O que vamos comer hoje (os pães da foto) começou a ser feito ontem. Mas às vezes começo com até dois dias de antecedência, principalmente se o frio é muito e a pressa, pouca. Mas vamos lá, passo a passo.

Como começar
Coloque 2 xícaras de farinha de trigo numa tigela de vidro e junte água mineral ou filtrada até formar um mingau. Cubra a tigela com pano bem limpo e deixe-a em local ventilado, o menos frio possível – em cima da geladeira, pertinho do motor é uma opção. Se estiver muito frio, talvez demore um pouco mais. Estará pronto quando a massa começar a borbulhar, como se vê na foto. Pode demorar até uma semana para isto acontecer.


Este é o ponto

Você só vai fazer isto uma vez, para gerar o fermento. Nos próximos será mais rápido, pois ele só terá que ser alimentado com mais amido. Se você começar a fazer agora, certamente já poderá pensar em sovar seu pão no domingo ou na segunda-feira. Passa rápido, anime-se. Esta primeira gestação é um espetáculo.

Como fazer o pão
Primeiro, reforme o fermento: divida o fermento em dois e reforme um deles acrescentando água e farinha até voltar a ter a mesma consistência de mingau e o mesmo volume inicial (a outra metade, você usa para fazer o pão). Guarde em vidro bem tampado, em temperatura ambiente. Esta é a isca que você vai guardar para o próximo pão e assim por diante. Pode durar uma vida. Se for usar em uma semana novamente, guarde desta forma. Mas, se pretende demorar mais, acrescente ½ colherinha de chá de sal, para preservar melhor. Mesmo que não vá usar, reforme-o pelo menos a cada 15 dias, desprezando a metade e renovando com mais água e farinha. Se você ganhou o tal fermento de Cristo ou qualquer outro, proceda do mesmo jeito que dará certo.

A outra metade do fermento será usada para fazer o pão – faça isto antes de dormir, para dar tempo de assar o pão no final do outro dia. Ou comece de manhã e deixe a massa crescer durante a noite (isto funciona bem no frio).

Separe 1 quilo de farinha de trigo especial (eu gosto da Renata e Anaconda) e tire um pouco dela para misturar à outra metade do fermento junto com água suficiente para completar 750 ml de mingau (a água deve ser mineral ou filtrada e levemente morna, 38, 40 graus, se estiver frio). Junte 3 colheres (sopa) de açúcar e mexa. Coloque num vidro grande que feche bem, de preferência daqueles de conserva, e deixe fermentar por 7, 8 horas, até formar muitas bolhas. É meio igual a Kefir, aos poucos você vai se acostumando e aprendendo a cuidar dele de acordo com a temperatura.

No outro dia: coloque o mingau fermentado numa bacia e junte mais farinha (o restante daquele pacote de 1 quilo que você separou), aos poucos, mexendo sempre, alternando com ½ xícara de óleo ou azeite e 1 ovo. Junte mais farinha, sempre aos poucos. Passe para uma superfície enfarinhada, junte 1 colher (sopa) de sal e sove a massa com movimento de espicha e recolhe, até ficar lisa, elástica e brilhante. A quantidade de farinha é aproximada – depende da umidade e do tamanho do ovo. Cubra a massa com plástico e guarde em local protegido e abafado (pode ser dentro do forno, por exemplo). Deixe fermentar por cerca de 7 horas (no dia de hoje, que estava friozinho levou este tempo; mas no calor, pode fermentar bem antes) ou até a massa dobrar de volume. Divida a massa em quatro, molde os pães, coloque em formas untadas e enfarinhadas, cubra com pano limpo e deixe novamente ganhar volume – mais umas 2 ou 3 horas se tiver frio – mas isto varia enormemente). Leve ao forno bem quente, preaquecido, por 10 minutos. Abaixe o forno e deixe mais 50 minutos. Rende 4 pães.

Veja outra receita.
E aguardem dicas de como apressar o crescimento; como usar a máquina de pão; como deixar a crosta mais crocante e outras cositas.

149 comentários:

Eliana Scaramal disse...

Ficam tão lindos os pães!!

fezoca disse...

Neide, isso eh uma verdadeira aula de como fazer pao. Parece tao, tao facil. Eu precisaria fazer no final de semana, pra nao ter perigo de fazer trapalhadas por causa da correria ou cansaco.

Eu costumava fazer pao, muitos anos atras, quando morava em Piracicaba e tinha meu filho pequeno. Usava uma receita basica e ia variando. Nao tenho mais essa receita. Pouco me lembro dessa minha breve fase padeira. Neblina intensa... :-))

beijao,

Sofia disse...

Oi Neide,
fui para Gonçalves, no sul de minas, e me lembrei de você. Tem Orgânicos da Mantiqueira, farinha de milho... um monte de coisas que você vai adorar!
Quanto ao meu fermento, eu guardo na geladeira e tiro um pouco antes de usar, dou uma alimentadinha e uso 400 gramas para 800 gramas de farinha ( aquela receita da Mari Hirata). em geral funciona, mas vou tentar fazer agora no frio.

Neide Rigo disse...

Sofia, sumida! Senti sua falta por aqui. Qualquer dia vou fazer o pão da Mari Hirata. Aliás, este fermento que vê na foto já virou um fermento mestiço, pois fiz aquele da Mari, com figos, e aos poucos ele foi ficando muito parecido com o que eu já tinha, então misturei os dois. O próximo que vou tentar é com água de imersão em farinha grossa de centeio. Segundo um especialista, é o que fica melhor, menos ácido. Depois conto aqui.
Vou sempre pra Gonçalves. Uma amiga tem chácara lá e outra tem ateliê - ateliê da silvinha. Já postei sobre o Zé do Ovídio há algum tempo. bjs, n

Neide Rigo disse...

Fer, eu só faço o pão nos dias em que não trabalho fora. Como trabalho a maior parte do tempo aqui em casa, fico cuidando. Mas vou ficar feliz se você se entusiasmar.

Obrigada, Eliana!

Sill disse...

Oi Nide! Achei a postagem!! Foi no período da viagem pois não havia lido nenhum destes desta semana! Adorei os pães! Só faltou a sacola!!! bj Sill

Anônimo disse...

otima a tua explicação... achei outras receitas deste pão (q minha mae chamava de pao de isca) e eram cheias de rituais...

flor disse...

gostei de suas explicações em como preparar o fermento natural,porém estou com algumas duvidas:
quanto de água devo usar para duas xícaras de farinha? o mingau deve ficar ralo ou espesso?
espero por resposta ansiosamente.
abraços.

Neide Rigo disse...

Flor,
para 2 xícaras de farinha, acrescente 2 xícaras de água. O mingau fica com consistência de massa de panqueca - um pouco mais espessa, talvez. Mas de qualquer forma, mais ralo ou mais grosso, a mistura fermenta. Um abraço, n

flor disse...

neide,obrigada pelo retorno tão rápido.vou fazer o pão e depois te falo se ficou bom.Tenha uma boa tarde na presença de Deus.

flor disse...

Neide,não estou tendo sucesso com meu pão.Faço tudo como manda o figurino.O fermento fica bom, mas, quando passo para o preparo da massa,que coloco o pão para crescer,ele não cresce.Já estou quase desistindo,após tantas tentativas fracassadas. O que está dando errado?

flor disse...

Neide,não estou tendo sucesso com meu pão.Faço tudo como manda o figurino.O fermento fica bom, mas, quando passo para o preparo da massa,que coloco o pão para crescer,ele não cresce.Já estou quase desistindo,após tantas tentativas fracassadas. O que está dando errado?

Neide Rigo disse...

Flor,
por favor, não desista. Como está a temperatura ambiente? Quanto tempo, no total, tem deixado crescer antes de moldar os pães? Lembre-se que ele demora muito mais para crescer que o feito com fermento comum. Qualquer coisa, me escreva no email: neide.rigo@gmail.com
Um beijo, N

Anônimo disse...

Oi Neide,

Muito legal a sua iniciativa de didática. Pergunta: voce não adiciona nada nem leite nem Coalhada, como a reação acontece somente com água e com a farinha ?

o que aconteceria se colocarmos iogurte ou mesmo cerveja ?

beijos

Octavio

Neide Rigo disse...

Oi, Octávio,
não precisa acrescentar nada, pois as leveduras já estão presentes na própria farinha e até no ar. Por isto, não precisa de iogurte ou mais leveduras neste momento. Imagino que, com iogurte, a mistura apodreceria.
Obrigada, um abraço,
Neide

Ana Paula disse...

Olá!
Moro em Portugal e hoje lembrei do tempo que minha mãe fazia o Pão de Cristo em casa, eu adorava!!! Resolvi navegar pela net à procura da tal receita com direito a todo o ritual que ela envolve. Entretanto, surgiram dúvidas. Será que poderia ajudar-me?
Obrigada!

Neide Rigo disse...

É claro, Ana Paula. Escreva para o meu email: neide.rigo@gmail.com
Um abraço,
N

Anônimo disse...

Você assa em forno com vapor? Ou nesses de casa mesmo?
Abraço
Ricardo

Neide Rigo disse...

Ricardo,
meu forno é um destes de 6 bocas comuníssimo.
Um abraço,
n

Roseneide - DF disse...

Pensar em saúde é também pensar em poucou de paciência e trabalho na hora de preparar as refeições, depois é só esperar a recompensa; por que será mesmo que há tanta gente doente, é bom refletirmos sobre isso!

sarah disse...

Oi Neide,tudo bem?Gostei muito do seu blog,e ele me pegou pelos pães!Queria saber de você o seguinte:eu fiz esse fermento seu só com água e farinha,só que deixei ele num ponto bem expesso,para fazer a receita do alimentíssimo,que pede um fermento num ponto bem firme.Ele está lá quietinho desde sábado aí hoje ele resolveu dar um mofinho na superfície.O pior é que o cheiro está muito gostoso,tá um cheirinho de pão italiano,com um leve cheiro de queijo sabe?Moro em Petrópolis,no interior do RJ,e essa semana o tempo está meio friozinho,desde segunda feira.Queria saber de você se posso usar o fermento mofado,ou se começo tudo de novo?Obrigada e sucesso!Beijos!

Tatiana disse...

Ola Neide!! Parabens pelo seu blog!
Estava eu pesquisando sobre fermentacao natural e me deparei com uma aula muito didatica no seu blog...mas para minha surpresa o texto e exatamente o mesmo texto postado em uma comunidade do orkut...com a diferenca que la faltam alguns passos essecias para finalizar o pao!!!Enfim adorei seu blog e vou seguir passo a passo,sem medo de tropecar... volto para disser como ficaram os paes!!! Bjos

Neide Rigo disse...

Oi, Tatiana,
espero que não tenha pensado ser eu a copiona. Chato isto de copiarem e sequer dar a fonte. Se tiver o link de onde encontrou o texto, por favor, me passe. De qualquer forma, também vou procurar.
Um abraço,
N

Neide Rigo disse...

Oi, Tatiana, achei a comunidade e a pessoa que copiou meu texto inteiro. O mais incrível é que tem também duas fotos minhas e ainda responde aos membros como se aquelas informações fossem delas. Eu não sou dona das informações, mas do texto sim. E das fotos também. E a dona da comunidade (Joana D´Ark) copiou e colou na cara de pau. Eu, hem? (até minha preferência de farinha está lá!)
Nome da comunidade: Pão - Panificações caseira (sic).
Obrigada por avisar, um abraço, N

André disse...

Tinha desistido de fazer pão com fermento natural,fiz uma receita que peguei na net que fiquei 10 dias quando botei para assar,que decepção ganhava de uma pedra!
Comecei fazer o fermento hoje,tomara que de certo se não desisto!Tenha uma boa noite! Qualquer coisa me ajuda ok?

Anônimo disse...

oi Neide!!nossa eu adoro esse pão,agora pouco estava comentando com minha mãe do pão de cristo,e resolvi procura aki na net como fazer a isca,porque ela fazia o pão mais a isca ela tinha ganhado e sempre ela aumentava ate que um dia ela deixou de fazer e perdeu a isca...mais agora ela vai tentar fazer...tomara que de certo...se der certo depois te aviso,obrigada.Marcinha

Anônimo disse...

conheci o blog agora, procurando no google a receita do fermento natural. gostei muito do blog! vou tentar preparar o fermento!
abração

IDEA PRESS ADVICE disse...

Olá, adorei tua explicação sobre o fermento natural, costumo sempre fazer o pão na máquina de pão, mas o fermento biológico deixa a massa sempre enjoativa. Vendo a foto dos teus pães me lembrei do sabor e dos pães que comia na Europa quando fui imigrante lá, e ontem (29/05/2009) estava assistindo uma reportagem sobre alimentação no globo reporter e me interessei por aprender a fazer pães com aquele sabor único e os teus ficaram identicos. Mas enfim vou tentar fazer o fermento e usar em casa. Obrigado pela exelente explicação. Rodrigo Silveira - Joinville - S/C

Anônimo disse...

adorei sua explicação, amei , sou apaixonada por pão desde a infancia, mas esses pães de padaria com passasr do tempo foi me deixando gordinha , então quando vi no globo report o pão que não engorda tratei de procura e achei vc fada dos pães , obrigada vou tentar , bejus

Anônimo disse...

Olá Neite, adorei a sua explicação de como fazer o fermento, vou tentar fazer, mas tenho uma dúvida. pra fazer o fermento a farinha tem que ser sem fermento ne? Gostaria de fazer agora mas só tenho da farinha fermentada.
parabéns pelo blog.
Marlúcia Romeiro Leone de Minas Gerais.

Neide Rigo disse...

Oi, Marlúcia,
é sem fermento sim.
um abraço, n

Anônimo disse...

Ola! Amei o seu blog. Era isso mesmo que estava procurando. So tire umna duvida..para essas duas xicaras de trico qunato de agua devo colocar?

Neide Rigo disse...

Não sei ao certo quanto vai de água, mas é até formar um mingau grossinho. Mas se ficar mais espesso ou mais ralo,não tem problema. Um abraço, N

Anônimo disse...

Gostaria de saber quais as principais diferenças entre este e os paes laborados com fermento biologico comum ou industrial.

Anônimo disse...

Olá Neide
Iniciei a receita do fermento no domingo e já esta borbulhando e com cheiro forte será que já passou do ponto? Help

Elisângela - Goiania

Neide Rigo disse...

Oi, Elisângela,
se estiver com cheiro de cerveja ou fermento de pão, está no ponto. Se achar muito forte, vá diluindo até chegar a um cheiro mais suave.
Um abraço, N

Anônimo disse...

Faço pão com fermento natural, já faz 1 ano, sempre deu certo, agora não sei explicar o que está acontecendo, que ele não cresce e quando cresce demora muito. Qual a dica que você pode me passar para poder continuar fazendo os pães, pois aqui em casa todo mundo gosta do pão, e já estou desanimada para continuar fazendo.
Desde já agradeço e aguardo resposta.
mcpascon@gmail.com

Renata disse...

Neide, faço paes com fermento natural com meu marido aqui na França e achei excelente sua iniciativa de postar a receita do fermento e do pao. Tenho indicado seu blog aos brasileiros que me perguntam como fazer esse pao pois suas explicaçoes sao claras e adaptadas à fabricaçao caseira.
Fico feliz que voltemos a nos alimentar de maneira mais saudavel e equilibrada.
Obrigada pela generosidade!
Renata

rose disse...

Oi,Neide!Fazia tempo que eu estava à procura desta receita.Já fiz muito o pão de cristo,mas perdi a isca.Isso há trocentos anos atrás...rsssss.Resolvi procurar na net e achei seu blog.Estou encantada.Parabéns.Adoro fazer pães.Ficam excelentes,mas com fermento comprado em padaria.Vou ver se consigo acertar com este fermento natural.Já coloquei a mistura para descansar.Só me diga uma coisa:a outra metade,desta primeira feita só com água e farinha,que sobrar,coloco açúcar e sal para alimentá-la?Ou só na que vou usar para fazer o primeiro pão?Isso que não entendi muito bem.Obrigada.Um grande abraço!

Anônimo disse...

Olá! Fermentos naturais servem para bolos? e como substituir nas recitas o fermento químico pelo natural? devo usar a mesma quantidade? muito obrigada.

Anônimo disse...

maria luiza
Oi Neide, atrás de uma receita de fermento natural
encontrei seu blog. Achei interessante.
A primeira receita de pão quem me deu foi minha sogra.Experimentei e gostei
de mexer com massa de pão.
Considero uma terapia para mim. Tenho máquina de pão,
maso pão artesanal é mais gostoso e todos em casa gos
tam. A receita que tenho é a básica e faço as modifica
ções nos sabores. Agora que
ro experimentar com o fer
mento natural. Vou experi
mentar sua receita.
obrigada

Maria Luiza Lanza Sobral

Carlos D disse...

Oi Neide.
Muito legal teu blog. Queria tirar uma dúvida: tentei fazer o fermento aqui em casa. Fiz a mistura dos ingredientes na quantidade da receita. A unica diferença é que só tinha vasilhas de plástico e não de vidro para deixar a mistura fermentando. Bem, passaram-se 4 dias e o resultado foi meio pavoroso: ficou uma camada de fungos peludos acinzentados. Ao remover essa camada tudo que eu tinha era o liquido inicial e no fundo a mistura depositada.
No que será que falhei? Ou será que era assim mesmo??? Bem, de qualquer forma acabei jogando fora porque tinham muuuuuito fungos cabeludos.

Carlos D disse...

Oi Neide
Eu de novo rsrsrs Me lembrei duma coisa: usei farinha integral para fazer o fermento e não farinha branca. tem problema? o tempo de fermentação pode aumentar assim como o aparecimento desse "fungo mofado"???
Obrigado pelo blog e um abraço
Carlos D

Neide Rigo disse...

Oi, Carlos,
certamente sua mistura foi contaminada por fungos não desejados. Talvez o ambiente estivesse úmido demais e os esporos destes fungos estavam por aí zanzando. Fez bem em jogar fora. Da próxima vez, afervente a vasilha - não creio que o plástico tenha influenciado e o pano que vai usar para cobrir. A mistura deve espumar e ficar com cheiro bom de cerveja.
Um abraço, N

Neide Rigo disse...

Carlos,
talvez a farinha integral estivesse contaminada com estes fungos. Tente fazer com a farinha branca, que é mais seguro.
Um abraço,n

Carlos D disse...

Oi Neide
Muito obrigado pelo retorno. Me lembrei de outra "trapalhada" que fiz... a farinha (integral) eu misturei com água filtrada quente (talvez pq eu já estava seguindo uma outra receita que falava sobre usar água morna - só q o "maitre" aqui na pressa acabou deixando a água ferver rsrs - só achei sua receita depois que já tinha começado o processo)
Pois é, fui apressado e afoito rsrsrs mas vou tentar de novo seguindo só teus passos...
Obrigado novamente. Muita luz pra ti.
Abs
Carlos D

Neide Rigo disse...

Carlos, então foi isto. Você matou os microorganismos que deveriam se desenvolver e abriu espaço para contaminantes do ambiente. Mas uma semana passa rápido. Depois me conte.
Boa sorte, um abraço,
N

Anônimo disse...

Olá,meu nome é Leila e eu tinha este fermento,mas como fazia mais de um mes que eu nao usava o fermento ele estragou.Fiquei muito triste já que as crianças adoram o pão,eles estão anciosos para esperimentar novamente o pão.
Quando ficar pronto volto para dizer como ficou.
Obrigasda,Leila Aparecida.

Anônimo disse...

Olá!
Recebi antes de ontem uma "isca" do "Pão de Cristo" de uma amiga, com as seguintes instruções:
1º dia: ao receber o fermento, coloque em uma vasilha maior e adicione 1 litro de água.
2º dia: pela manhã acrescente 5 colheres (sopa) de açucar, 5 de farinha de trigo e 1 de sal.
3º dia: pela manhã, medir o fermento e dividir em 4 partes iguais. Em uma parte adicione 12 colheres (sopa) de açúcar, 1 copo de óleo, 4 ovos e farinha até o ponto de enrolar. As outras partes pode doar ou usar.
4º dia: Pela manhã enrole os pães e asse à tarde.

O fermento está cheio de bolhas e hoje está bem quente aqui. Não tive tempo de fazer o pão de manhã, mas pelo jeito não tem problema, não é? Posso fazê-lo agora à noite e assar amanhã!

Minha amiga disse que este pão fica bem doce. Como será que faço uma receita de pão mais salgado? E um panetone?

Obrigada por compartilhar conosco a receita da "isca". Vou tentar fazer só para ver esta "magia"...

Sol

Neide Rigo disse...

Sol,
o importante é ir sempre alimentando o fermento com farinha e, se quiser, um pouco de açúcar. O sal funciona como um freio no crescimento. É bom quando só prepara o pão uma vez por semana, por exemplo. `Mas você pode preparar a primeira fase e eliminar o açúcar da segunda fase (as 12 colheres) e você terá um pão salgado. Qualquer dúvida, pode escrever no meu email.
Um abraço,
N

QUINTO PECADO disse...

Oi Neide, quase não tenho tempo para internet, pois trabalho muito, mas fazendo uma pesquisa sobre pães sem fermentação, encontrei seu Blog que muito me alegrou, pois é de uma qualidade e clareza quase ímpar!!!Eu trabalho com pães, tenho uma pequena fábrica de pães especiais, uso ingredientes de primeiríssima linha, só uso farinha Renata para começar, e com ela nada que não tenha o mesmo padrão.(Vi que vc tbem gosta dela)Gostaria de saber se posso em meu blog postar o Pão sem fermentação citando claro seus créditos, pois vou começar a fazer o fermento hj(27/11 - sexta-feira),e assim que tiver fotos vou postar, portanto preciso de sua resposta.
Parabéns pelo Blog e pela competência, me visite tbem, vou adorar!!!
Edna
quintopecado2009@hotmail.com

Neide Rigo disse...

Edna, que bom saber disto. E parabéns pelo trabalho.
Pode postar no seu blog, sim. Sem problema. Depois me avise.
Um abraço,
N

Neide Rigo disse...

Edna, que bom saber disto. E parabéns pelo trabalho.
Pode postar no seu blog, sim. Sem problema. Depois me avise.
Um abraço,
N

clau disse...

Neide...sera que da para fazer isto em quantidades reduzidas, na boa?...
Tipo assim para quem só precise de um pao por semana, e nada mais?
E, por acaso, vc viu aquela senhora que fez um pao que usa o fermento de uma "batata meio podrinha" que passou no canal Discovery Travel e Living?
Pq, a parte o cheiro inicial que a coisa devia ter, me pareceu, depois, que o resultado foi otimo! E o cheiro final, idem.
Bj!

Anônimo disse...

Oi Neide.Não sou culinarista,apenas gosto de fazer bolos para consumo meu e de meu marido. Só uso farinha integral e a muito venho procurando uma receita de fermento natural pra bolo. Essa receita sua funcionaria pra bolo integral? fatimalucinda@gmail.com

Neide Rigo disse...

Oi, Fátima!
Eu nunca testei em bolo, mas é questão de testar. Se der certo, me avise.
Um beijo, n

Sonia Novaes disse...

Neide

Acho muito interessante fazer fermento natural para pães.
Quando morava no interior,havia uma amiga de minha mãe que fazia fermento em casa,chamava de fermento de garrafa.
Perdi oportunidade de saber como ela fazia isso,pois ela já faleceu.Era descendente de espanhóis e fazia um pão no cilindro prá ninguém botar defeito.Parece que sinto até hoje aquele gosto delicioso,depois assava em fogão à lenha...afff!!!que delícia.Vou tentar fazer esse fermento,pois adoro fazer pães.
Obrigada,por dividir conosco suas receitas.
Bjs
Sonia Novaes

Neide Rigo disse...

Sonia,
minha tia também usa este fermento. É o mesmo que "fermento de cristo!. Ela também faz pães cilindrados que assa no forno de lenha. Se quiser saber mais, me escreva no neide.rigo@gmail.com que eu lhe mando a receita do fermento e do pão.
Beijo, n

QUINTO PECADO disse...

Oi Neide, eu lhe mandei um recado di 27.11, quando eu pretendia começar elaborar o fermento natural a partir de sua receita, mas claro que não deu...Hj dia 16.12 já estou com ele feito, e fica em pé a minha promessa de lhe avisar quando eu postar o passo a passo com as fotos no meu blog, espero que dê certo !!Bom dia para vc!!!
Beijo
Edna

paduano disse...

Neide,

estamos tentando acompanhar sua receita dos pães, mas tem um porém, no dia seguinte ao prepararmos o fermento natural, antes mesmo de dividi-lo ficamos na dúvida, acontece que este material ficou dividido , encima a massa e embaixo uma água esbranquiçada, tornei a misturá-los , fiz o certo ??? deveria ter deixado como estava ??

Neide Rigo disse...

Paduano,
isto acontece quando a massa está muito rala. Mas tudo bem homogeneizar. Para não separar, junte mais farinha para o mingau ficar mais grosso.
Qualquer coisa, me escreva no email neide.rigo@gmail.com
Um abraço,
N

ivannafmsou@hotmail.com disse...

Obrigada pela sua disponibilidade de partilhar conosco todas essas maravilhosas receitas, você é um Amor! Obrigada!

Ivani

Anônimo disse...

Neidee Quero Suaa opnião fiz a Seguinte Receita:
Ingredientes
02 LITROS DE AGUA
06 COLHERES DE AÇUCAR
02 COLHERES DE SAL
10 COLHERES DE FARINHA DE TRIGO

Modo de preparo
MISTURE BEM A METADE
DOS INGREDIENTES,
DEIXE DESCANSAR PO 4 DIAS NUMA VASILHA TAMPADA.dEPOIS
MEXA BEM E JOGUE FORA A METADE OU DÊ PARA ALGUEM E NA
PARTE Q RESTOU COLOQUE A OUTRA METADE DOS INGREDIENTES
E MISTURE MUITO BEM.
DEIXE DESCANSAR POR 2 DIAS E ESTA PRONTO PARA USO.
CADA RECEITA DE 1 KILO DE FARINHA LEVA APROXIMADAMENTE
1 COPO DA MISTURA.VOCE DEVERÁ ADAPTAR O FERMENTO ÀS
SUAS RECEITAS.

Gostaria de Saber se vai dar certo ou naum estou anciosa Para ver resultados

Anônimo disse...

Neide, fiz o tal fermento natural a partir de maçã. O fermento cresceu, bonitinho, cheirinho bom, fui alimentando, etc... aí, hoje fiz o pão misturando farinha branca, centeio e farinha integral. O pão ficou com uma aparência ótima, macio,casca crocante, perfumado, sem aquele cheiro forte do fermento biológico industrializado, mas... ao provar, senti que a massa apresentou um gosto ácido. Isso é normal? Faz parte? ou o fermento azedou, no processo e eu deveria começar tudo de novo e fazer outro fermento? Abração. Meu nome é Liana Silveira e moro no Rio de Janeiro/Capital.

Neide Rigo disse...

Oi, Liana, não sei o quão azedo ficou sua massa, mas um pouco de acidez é normal. Não precisa desprezar o fermento, não. Apenas deixe para reformá-lo um pouco antes de usar, para que esteja mais leve.
Um abraço, N

Anônimo disse...

Neide,
Ele ficou um pouco ácido (parece que derramei gotinhas de limão na massa...), mas vou testar sua idéia, e alimentarei novamente o fermento (que está na geladeira agora)um pouco antes de fazer o novo pão, como vc sugeriu.
Abraço. Liana/RJ

michelly disse...

Este fermento depois de pronto é guardado na geladeira?

Neide Rigo disse...

Michelly,
pode ser guardado na geladeira, sim. Mas tire algumas horas antes de reformar, para que esteja em temperatura ambiente. Um abraço, N

michelly disse...

posso usar a farinha de trigo normal, pois, onde moro nao tem a especial,

Kaká disse...

Olá, pesquisando na net sobre fermento naturaL,que estou aprendendo a fazer, vi no seu blog que já leio há um tempo e acabei achando noutro blog uma cópia fiel de parte da sua postagem: http://www.receitaculo.com/receita/6818/

Abraços, Ana Karine

kathussia disse...

neide, obrigada pelo seublog, quando era criança minha mãe fazia este pão eu amo!
Bem eu não entendi uma coisa "depois do fermento borbulhar eu vou pegar a metade e farei a massa colocando mais uns 700 gr de farinha ? naquela metade de fermento q eu peguei é isso que ficará 750 ml que vc falou? rs.. bjim

kathussia disse...

oie, linda to fazendo o fermento estou no segundo dia e com uma duvida enorme, hoje eu olhei e tem uma crosta avermelhada, umas partes vermelhas, que eu faço, jogo fora ou é assim mesmo? obrigada.
kathussia.

kathussia disse...

ah meu email é kathussia@hotmail.com.
obrigada.

João disse...

Olá, Neide
Minha mãe já passou dos 90 anos e ontem eu perguntei a ela como fazia o tal de fermento natural, quando morava na roça. Ela disse-me que era assim: Uma mistura de 1 batata ralada, 1 xícara de água, 1 xícara de farinha e 1 colher de açúcar. Colocava tudo numa garrafa hermeticamente tampada e esperava fermentar. Como ela já anda "bem esquecidinha" fiquei na dúvida se a receita era assim mesmo. Com tua experiência, o que você poderia falar sobre a receita dela?
Abraços

João disse...

Neide, sou o João do fermento com batatas (rsrsrs). Aproveito para convidá-las e aos seus leitores a conhecer meu blog, com contos bem divertidos e receitas bem caseiras. Anotem ai: http://jbgregor.blog.uol.com.br

Neide Rigo disse...

João, acho que assim mesmo. Mas tem que deixar bem vedado e de vez em quando abrir para sair o gás, pois já vi geladeira destruída com fermento-bomba de batata.
Vou ver seu blog. um abraço, n

Anônimo disse...

Neide, fiquei em dúvida: no segundo dia da preparação da semente do fermento, reparo que há uma separação no mingau: o líquido está sobre a farinha, numa espessura de meio centímetro. Isso está correto?
Outra dúvida: quanto devo acrescentar de água e farinha ao separar a metade dessa semente para guardar como fermento?
Grata, Érika.

Anônimo disse...

Olá Neide....
Gostaria de saber se posso guardar o fermento do pão de cristo por muito tempo ??
Obrigada.
Fernanda

Anônimo disse...

Neide, vc escreve com amor a causa gastronômica! encontrei alguém que me entende... depois de um dia de estresse, amassar um pão, de preferência com um fermento natural...eu amo! Só que eu gosto com batata,acho que cresce mais rápido. Imagine uma cirurgiã toda melada de farinha!Eu adoro...
Dayse

Anônimo disse...

Oi! Estou fazendo fermento natural de batata para um trabalho da minha escola e em seguida tenho que preparar uma receita com o fermento. Quero saber se posso utilizar esse fermento na receita de bolo simples de farinha de trigo e quanto tenho que utilizar do fermento. Desde já muito obrigada!

Paloma.

Neide Rigo disse...

Dayse,
sim, eu te entendo. Não tem nada melhor.

Paloma, nunca fiz bolo com este fermento, então não sei te responder. Mas acho que é possível, sim. È só adaptar as quantidades, o tempo. Teria que testar.

Um abraço, n

Neide Rigo disse...

Dayse,
sim, eu te entendo. Não tem nada melhor.

Paloma, nunca fiz bolo com este fermento, então não sei te responder. Mas acho que é possível, sim. È só adaptar as quantidades, o tempo. Teria que testar.

Um abraço, n

Anônimo disse...

Muito obrigada, mas acho que o meu fermento de batata num vai pra frente não, de dia até que está quente mas a noite e pela manhã está bastante frio e parece que não está sendo bom para a fermentação, mas o jeito é ter paciência e esperar. Vou tentar preparar o bolo vamos ver no que vai dar!Espero ter uma boa nota em meu trabalho.Obrigada por sua atenção.

Nathan disse...

Será qe fiz algo de errado, coloquei a farinha, a agua, a vasilhina vedada com um pano, mas em 3 dias, o mingau ficou com aspecto estranho e com um cheiro de coisa podre! Será que fiz algo de errado?

Neide Rigo disse...

Nathan,
deixe pra começar esta esperiência quando o tempo estiver mais quentinho. Se está com cheiro estranho, jogue fora.
Um abraço, n

Marina disse...

Olá Neide querida, parabéns pelo seu blog, acabei de fazer o fermento...
Quando terminar de fazer o pão venho aqui dizer oq achei, por enquanto,agradeço pelas dicas...Bjos

Benato disse...

Cara Neide...
Hoje, confesso que com certo receio, fiz meu primeiro pão com fermentação natural, e o resultado??? adivinhe... ficou maravilhoso. A cor, a textura e o sabor, do legítimo pão italiano. Outrossim, comento ainda, que precisei de cuidados especiais para que o fermento atingisse o ponto ideal, pois moro em uma cidade fria (Curitiba), e a temperatura nestes dias estava de 01 a 06 graus, o que elevou e tempo de preparo para quinze dias, alimentando-o diariamente e colocando-o ao sol, para que pudesse acontecer a reação esperada. Mas enfim... deu certo, e recomendo que todos façam, pois encontrei grande prazer ao acompanhar a "MAGIA DO PÃO". Grande abraço.
fernando.benato@hotmail.com

Anônimo disse...

Nossa o meu deu tudo errado, nao cresceu ,só perdi meu tempo...

Anônimo disse...

Nossa o meu deu tudo errado, nao cresceu ,só perdi meu tempo...

Anônimo disse...

Nossa o meu deu tudo errado, nao cresceu ,só perdi meu tempo...

adriana disse...

Neide, boa noite!

Irei fazer e depois te direi se deu certo. Qualquer dúvida ou erro vou te atormentar viu.

rsss...

Bjus
Adriana
Sorveteria Helados Mel
Ibirité/Sete Lagoas - MG

Neide Rigo disse...

Adriana, às ordens! bjs,n

Eliane Conde disse...

Olá, Neide!
Sempre pensei em fazer um pão natural e agora encontrei você e essas dicas maravilhosas.

Como moro em Santos a temperatura está ótima para começar o fermento. Coloquei a receita no meu blogger e vou postar fotos e o passo a passo.

Espero que dê tudo certo e fique lindo como o seu.
Obrigada pelas dicas.
Bjus iluminados pra vc!

Cláudia disse...

por acaso achei sua receita na internet em umas das minhas pesquisas e gostei, comecei ontem a fazer o fermento, só que eu tenho uma dúvida, como estamos no verão ele acelera mais o crescimento,no segundo dia ele já está borbulhando será que dá pra fazer o pão .Fico aguardando,obrigada.

Neide Rigo disse...

Claudia, quando está muito quente, acontece mesmo de fermentar mais rápido. Agora, ou guarde na geladeira, ou já use para fazer o pão. Um abraço, n

Cláudia disse...

oi,quando fui dividir o fermento eu o coloquei num vasilha de plástico foi pro alguns minutos até colocar no vidro novamente antes disso eu mexi com uma colher antes de dividir, depois a outra parte eu usei pro pão só que nesse processo nenhum dos dois fermentou o que será que deu errado, vou tentar de novo . Cláudia de Florianópolis

Neide Rigo disse...

Claudia, escreva para o meu email: neide.rigo@gmail.com e a gente conversa sobre isto. bj,n

Silvana disse...

Já tentei fazer o fermento 3 vezes mas não deu certo
ele até fermentou mas o pão não cresceu
Silvana
silvana_carlosrodrigues@hotmail.com

Anônimo disse...

Oi Neide ..adorei sua postagem e resolvi fazer estou testando 3 tipos de fermento caseiro o seu seráa o 3°

eu tenho uma pequena dúvida eu coloco as duas xicara de trigo e a agua e deixo por 1 senama ou até criar bolhas sem alimenta-lo e sem meche durante esse tempo até criar ponto?

Beijos aguardo respostas
By:Fernanda Reis

Anônimo disse...

Oi sou eu novamente Fernanda R. eu fiz o fermento ontem anoite e hoje de tarde ja esta super com bolhas iqual a da sua foto mais to com medo de usar pois nao passou nem um dia vou deixa 3 dias pelo menos mais to com medo de estragar o que faço?

Patrícia disse...

Oi Neide!!
Parabéns pelo blog!!
Claro simples e objetivo. adorei!!!

Tenho uma duvida:

A receita que a "Sol" postou (dividida em dias) é a mesma que eu tinha e fazia quando adolescente.

A duvida é a seguinte:

Seu fermento base, quando pronto, é para ser dividido em duas porções.

Devo usar apenas uma dessas porções ou a medida inteira do seu fermento para iniciar a receita da "Sol" que instrui a acrescentar um litro de água e depois dividir em 4 partes?

Grande beijo!!!!

Patrícia.

Anônimo disse...

oi,bd.Tenho uma duvida.fiz a receita do fermento ,tem 2 dias e o trigo esta separado da agua,o trigo esta embaixo e a agua em cima.Sera que deu errado?

Neide Rigo disse...

Anônimo,
isto acontece quando a massa está muito rala. É só acrescentar mais farinha para ficar uma massa mais espessa. Um abraço, N

Neny disse...

NenY Simões Disse....
Eu gostaria de saber se posso aproveitar o fermento de pão de batatinha q esta na minha geladeira ha meses, quero fazer pão mas estou com medo de perder a massa com esse fermento. O q vc me orienta posso renovar ?

Neide Rigo disse...

Neny, eu começaria outro. Ou então começaria com este mesmo, mas usando 1 colher de sopa do fermento com 1/2 xícara de farinha e um pouco de água pra formar uma massa cremosa. Cubra com filme plástico e deixe fora da geladeira. Se fermentar, vá aumentando dia a dia até chegar à quantidade que quer. Um abraço, N

Inexperiente persistente disse...

Oi, Neide, tudo bem?
Fiz exatamente como manda o figurino. A massa crua triplicou de tamanho e ficou bem elástica e brilhante, um espetáculo. O problema foi quando coloquei/moldei nas formas, depois de dividir a massa em quatro: a massa não cresceu mais(apesar de eu ter esperado as 3 horas indicadas na receita). Pensei, então, que elas fossem crescer no forno, mas nada! Os pães ficaram totalmente "abatumados". Onde foi que errei?
Obrigada.

Neide Rigo disse...

Inexperiente,
talvez estivesse muito frio e 3 horas não foram suficientes, talvez você tenha remexido muito na massa, talvez a massa tenha crescido demais e enfraquecido o gluten, não sei. Mas espero que continue persistente.

Um abraço,
N (qualquer coisa, me escreva no neide.rigo@gmail.com)

vanessa disse...

Olá peguei o link de seu blog numa comunidade que participo no orkut,simplismente sensacional seu blog,e me aventurei tentando fazer o fermento natural,mas cá estou eu com umas duvidas e mandarei pra ti se puder a foto do meu fermento,é o seguinte coloquei 2 xicaras de trigo com 2 xicaras de agua ficou como uma massa de panqueca,fiz essa mistura ontem a noite,hoje ela já esta sem liquido nenhum e tem aparencia de fofa,mas estou na duvida se esta certo,estarei envianda as fotos pra vc ok?Obrigada pela atenção!Bjus!

Rosa Santana disse...

Neide,
Parabéns pelo blog. Gosto muito de comida natural e aqui é um prato cheio delas... Hehehe!!
Comi um delicioso pão feito por minha prima com fermento que já ganhara, sem receita e informação de como fora feito. Por gostar muito e aprovar esse tipo de alimentos, perguntei no facebook e me deram o link do seu blog. Não fiz ainda o fermento, mas vou tentar. Tenho certeza de que conseguirei, porque sou persistente!!
Agora, uma pergunta: vc sabe se dá certo com farinha integral? Prefiro esse tipo de farináceo...
Obrigada por compartilhar conosco suas experiências.
Um bom final de semana!

Neide Rigo disse...

Rosa, obrigada. Dá certo com farinha integral, sim. Espero que consiga. Um abraço, N

Anônimo disse...

oi neide meu nome é poliane tenho um fermento caseiro mas ultimamenteos pães esta ficando azedo por favor me ajude???email www.tonbarbosa@hotmail.com

Neide Rigo disse...

Ton,
jogue fora a maior parte do seu fermento e o aumente aos poucos, dia-a-dia, até chegar novamente à quantidade que costuma ter. Coloque, junto com a farinha de trigo, um pouco de fubá ou farinha de centeio, que são farinhas mais alcalinas e isto ajudará a diminuir a acidez. Quanto mais tempo você passa sem reformar o fermento, mais ácido ele ficará. Um abraço, N

nelsonmaf disse...

Olá Neide! Parabéns pelo seu trabalho.

Li (partes ou tudo de) uns livros (pdf's), que acho que me ajudaram bastante a compreender e fazer pães artesanais. O nível vai desde o trivial até o avançado, dependendo da obra. Para quem tiver interesse, vale a pena dar uma olhada. O intuito é ajudar...

Há também vários blogs legais; exemplos, em português: Marisa Ono, Nina Moori, Pat Feldman, etc.

Um abraço e continue assim!

Nelson

______________________________

Livros sobre panificação:

El Aprendiz de Panadero (The Bread Baker's Apprentice) - Peter Reinhart

Professional Baking - Wayne Gisslen - 4th ed

Understanding Baking - The Art and Science of Baking - Nicole Rees - 3rd ed. - 2003

On Food and Cooking - The Science and Lore of the Kitchen - On Food and Cooking - Harold Mcgee

Enjoy Yeast Breads - Elna Miller and Georgia Lauritzen

La Mise En Route D'un Levain Et La Recette Du Pain Au Levain - autor(a) desconhecido(a)

Building a Wood-fired Oven for Bread and Pizza - Tom Jaine

Livros teóricos e artigos:

Effects of sourdough and enzymes on staling of high-fibre wheat bread - K. Katina, M. Salmenkallio-Marttila, R. Partanen, P. Forssell, K. Autio - 2006

Microbiology and Technology of Fermented Foods - Robert W. Hutkins - 2006

Lactic Acid Bacteria - Microbiological and Functional Aspects 3rd Ed. - Salminen, von Wright & Ouwehand - 2004

Handbook of Fermented Functional Foods - Edward Farnworth - 2nd ed - 2008

Molecular Techniques in the Microbial Ecology of Fermented Foods, Luca Cocolin and Danilo Ercolini (Eds.) - 2008

Biology of Microorganisms on Grapes, in Must and in Wine - Helmut König, Gottfried Unden, Jürgen Fröhlich - 2009

Teté Albuquerque disse...

Oi Neidew, tô chegando agora! Adorei teu blog, dá pra ver que vc faz com carinho! Tb tenho um blog q tá meio paradão por falta de tempo, sabe? Uma hora eu dou um jeito de voltar! Por favor continue com seu lindo trabalho! Vou tentar fazer o fermento com a tua receita, pq depois de muito procurar, a que achei não deu certo... acho q fermentou demais e separou, formou uma crosta dantesca! Rsrsrs e que cheiro brabo! Ainda amanhã vou pra tentativa 2 com as tuas dicas, depois te conto... qqr coisa vou vir te torrar e pedir ajuda, posso?! :) bjos e parabéns! - Teté

Teté Albuquerque disse...

Oi Neide, olha eu de novo... rs... Tudo bem com você? olha só, acabei demorando pra começar meu fermento pq andava mto instável o tempo... mas daí comecei, e o fófi resolveu dar uma desandada hoje com líquido na superfície(4º dia); ontem ele tava belíssimo! Segui teu conselho e adicionei farinha pra espessar e ainda coloquei uma colher de açúcar pra ver se o bichinho fica parrudo! rsrs... era isso mesmo que tinha q ser feito, não? Daí acho q vou olhar de novo daqui umas 6 horas (dei esse tapinha no fermento agorinha mesmo). Será que fiz certo? Algum conselho a mais? Agradeço um montão! Beijos! -Teté

Neide Rigo disse...

Teté,
pelo que diz, já pegou o jeito. É isto mesmo. Mas nem precisava do açúcar.
bjs,n

Teté Albuquerque disse...

Neide querida! Obrigada pela resposta tão rápida!! Ai guria... tomara que dê tudo certo... Como já deu crepe da outra vez, já sabe né? rsrs... Respirei fundo pra não ficar no trauma e mandei bala! Tomara q vc esteja certa de q peguei o jeito! olha só, se der tudo certo, assim q o fermentão estiver nos trinques te mando uma foto, tá bom? Beijos, e obrigadinha de novo linda! - Teté

Teté Albuquerque disse...

Oi de novo Neide! Ó q eu avisei que vinha te torrar pra pedir ajuda... rsrs... Pois é, me diz o que acha? Depois daquela minha última msg pra vc, umas 6 horas depois, fui checar o bacanão em cima da geladeira. É normal q nada tenha acontecido então, e até agora tb nada...? Esse tempo anda mto doido, será q pode ser isso q tá atrapalhando com sobe e desce de temperatura e umidade? Será q falta farinha?? Já tô começando a achar q não tenho mão boa pra isso, sabe? rsrsrs Não quero desistir! Já é o segundo q parece que não vinga... Tem mais algum conselho querida? Te agradeço de novo! Beijos! ... e desculpa a encheçao de saco tá? :) - Teté

Neide Rigo disse...

Oi, Tetê!
Cubra com filme plástico e esqueça dele. Acho que amanhã estará bom. Não desista não. Se não conseguir, depois eu lhe arrumo uma isca.
Beijo, N

Teté Albuquerque disse...

Ai Neida, você é muito querida mesmo! Obrigada linda! Vou esperar pra ver o que acontece. A paciência é uma virtude né? rsrsrs... Vou arrumar uma do tipo oriental, grande e inesgotável! rsrs Não vou desistir não! volto aqui depois pra te contar, tá bom? Beijos!! - Teté

Teté Albuquerque disse...

OPS! Neida não dá né? Sorry!!! NeidE :) Mais beijos querida! :)

Teté Albuquerque disse...

Oi Neide, tudo bom? Mais um boletim do meu candidato a fermento! rsrs Vai vendo: PAREEEECE que ele está querendo começar a borbulhar, a coisa tá bem discreta mas dando sinal de vida. Acho que deve ser essa temperatura mais fria que anda rolando. cobri com filme plástico como vc sugeriu e deixe ele lá quietinho. De qualquer forma, tô só no aguardo, não desisto! rsrs Você acha que de repente pode ser uma boa alimentar com mais farinha, ou então dividir, descartar metade e reformar? é duro ser novata viu...? Me fala se eu estiver abusando da sua boa vontade tá? Brigadinha querida! Beijos! - Teté

Anônimo disse...

oi Neide sou Ângela de mato grosso eu fiz seu fermento e ao invés de borbulhar ele virou uma esponja cresceu e ficou fofinho e como aqui e muito quente ja aconteceu isso no primeiro dia eu continuei a receita assim mesmo fiz certo ? um bj me responde por favor

Hulda disse...

olá Neide,já sigo seu blog a alhum tempo,mas procurando pela net por pao de isca a 1ª opção q tive foi vc...achei ótimo pq amo passar por aqui.Fiz a isca,aparentemente deu certo.Tô indo agora pros 1ºs passos do pão,torce por mim,tomara q dê certo.Bjos e Parabéns por esse espaço tão lindo e convidativo.

Anônimo disse...

ola fiz o fermento natural mais ao colocar na massa do pao naum cresceu por favor me explicar melhor como fazer.desde ja agradeco.kellynda.10@hotmail.com

Acordando a Arte disse...

Oi, sou Jaqueline e moro no Tocantins, coloquei o pão para cresce ontem às 11:00 horas, hoje de manhã estava bem crescido e modelei dois pães,agora estou esperando crescer de novo, o ruim é esperar...Quando ficar pronto eu digo se ficou bom.

Acordando a Arte disse...

Finalmente consegui, depois de 3 tentativas, só que achei o gosto um pouco azedo

rico moco disse...

Este site é realmente um passeio através de toda a informação que queria sobre isso e não sabia a quem perguntar. Glimpse aqui, e você definitivamente vai descobri-lo.
Mancing

Anônimo disse...

Olá Neide!

Esse seu post está dando o que falar, parabéns!

Fiz aqui o fermento, deu tudo certo, demorou um pouco mais que 5 dias, mas deu certo.

Estou acabando de assar meus primeiros pães, acho que errei a quantidade de farinha, mas valeu a experiência. Tenho certeza de que os próximos pães serão mais gostosos.

Que tal mais receitas com fermento natural?

Antonio

Katharina Dupont disse...

Oi Neide! virei fã do seu blog eheh e começei meu fermento no domingo e hoje , terça feira, ele ja ta com borbulhas lindas. Mas esta separado, tem essa camada espumante na superficie, agua no meio e uma camada de farinha no fundo da tigela, o que faço?

Neide Rigo disse...

Katharina,
coloque mais farinha, então, para fazer um mingau mais grosso.
Um abraço, N

Katharina Dupont disse...

Neide, antes de ler tua resposta eu mexi nele, fiz a separação do fermento e acrescentei mais farinha, agua e açucar para fazer a massa, a farinha decantou para o fundo do vidro, talvez pq tenha muita agua no vidro, posso desprezar o excesso de liquido e colocar mais farinhaw hehehe to muito empolgada com isso!

Neide Rigo disse...

Katharina,
isto mesmo: despreze a água que está sobrando, coloque outra limpa e junte mais farinha até fazer um mingau grosso. Tenho outros post mais atuais sobre o assunto. Procure no campo de buscar: fermento natural ou levain. Um abraço, N

Aline Araujo disse...

Olá Neide,
Amei seu blog, ainda mais por ter tantas dicas preciosas!
Magnífico esta receita de Fermento Natural, não vejo a hora de chegar em casa e começar o processo e divulgar para toda a família...

Beijinhos e até mais...
Aline Lucena

Neide Rigo disse...

Aline, obrigada. Depois me conte se deu certo. um abraço, n

Anônimo disse...

49Oi, Neide,
Tentei finalmente, por sua causa, a tentar fazer pão :)(nunca fiz na vida). Ontem à noite, fiz conforme vc ensinou: as duas xic. de farinha com água. Coloquei num armário escuro com a tampa do vidro solta (vidro de aprox. 600 ml, sobrou espaço; e não tenho recipiente mais adequado, por isso o vidro pequeno), por causa da fermentação. Hoje, por um acaso, abri o armário (após as 18h) e me assustei quando vi o vidro transbordando com o fermento borbulhante. Ficou aprox. 24 horas fermentando. Como vc falou que levava 7 dias, nem me passou pela cabeça olhar o fermento, olhei por um acaso. Ficou um líquido sobrando no fundo. Coloquei água demais ou fica assim mesmo? E o cheiro? É meio azedo mesmo? É estranho o cheiro. Nunca havia feito, então não faço ideia do que seria o cheiro desse fermento. Gostaria apenas que me confirmasse essas perguntas, se está tudo normal. Hoje, aqui no Rio, fez bastante calor. Pode ter sido essa a causa da rápida fermentação? Já terei que tentar fazer o pão logo, pois não esperava a fermentação para hoje. Fiz a reforma com mais água e farinha e o açúcar e vou aguardar. Um beijo. Cristiane.

Marcia Zaros disse...

Gente eu gostaria de compartilhar um fermnto natural que realmente é fácil, rápido e proporciona um pão perfeito: maciíssimo e leve pordentro e super crocante por fora. Depois de tanto perder ingredientes com mais de receitas de fermento natural que não deram certo, finalmente ue consegui criar um fermento inédito e que atéagora eu nem acredito que fui euzinha que o desenvolvi. Ele é super fácil de fazer atua rapidamente e com ele consegui os pães toscanos dos meus sonhos(macio e leve por dentro e cocrante por fora) além do que ele não dá me dá azia nem estufamento adbominal quando comido bem quente(coisa que os pães com femento industrial me dão e muito). Adorei este blog aqui e quero compartilhar com vocês que tem muitas dúvidas sobre o fermento natural a minha fantástica descoberta, até agora me belisco nem acredito que estou conseguindo fazer p~es tão maravilhosos. Agora todos os meus amigos querme vir no final da tarde de domingo em minha casa só pra comerem da fornada deles que faço com o maior prazer, é meu hobb prferiod de domingo, minha padaria artesanal. Meus p~es estão fazendo sucesso em minha cidade todo mundo quer a receita. Bom, dá pra ver no meu simplezinho e modesto blog algo sobre eles:http://cozinharomantica.blogspot.com.br

Igor Campos Leal disse...

Olá Neide,

Antes de qualquer coisa, parabéns pelo blog! Utilidade pública de primeira categoria! Desde a minha iniciação em uma alimentação menos industrializada, tudo o que você escreve aqui tem me ajudado! Valeu!

Pois então, fui fazer o pão com fermento natural. Ficou pronto ontem e, recém saído do forno, estava ótimo, com um leve gostinho de azedo.

Mas um dia depois, aumentou demais o gosto de azedo, ainda bem gostoso, mas passou um pouco do ponto. Aonde será que eu errei?

Outra coisa foi que meu pão não cresceu, não ficou fofinho, mas, sim, parece que "esparramou" na forma, ficando mais baixo. Alguma dica de aonde pode estar o erro?

A metade da isca foi "alimentada" e continua lá, pronta para minha próxima tentativa... Posso usá-la novamente para meu próximo pão ? Ou será que foi lá que errei e devo começar do zero de novo desde a isca?

Obrigado!

Igor Campos Leal disse...

E tem mais uma dúvida!

No vidro bem fechado aonde está a isca, parece que se formaram 3 camadas, a mais embaixo é branca porém um pouco mais líquida e sem furinhos, no meio mais transparente parecendo uma água suja e mais encima branquinha e cheia de furos.

É assim mesmo? Ou deveria ela inteira estar branquinha e cheia de bolhas?

Neide Rigo disse...

Igor,
escreva no meu email e poderemos conversar. Um abraço, n

Andréia Maia disse...

Neide,

Olá, sou de Salvador/Ba e achei muito interessante o seu post. Amo cozinhar e estou me aliando a isso para fazer uma alimentação bem saudável para minha familia. Quero e vou fazer esse pão, só que fiquei com uma dúvida: A farinha de trigo usada para fazer o fermento é integral? Pode ser qualquer marca? Minha familia é pequena, posso congelar os pães antes de assá-los?

Andréia Uchôa - andreia_mmu@hotmail.com

Anônimo disse...

Boa noite Eliana, parabéns pelas informações do seu blog. Gostaria de confirmar com você se no dia anterior de fazer o pão, quando você divide o fermento e alimenta, se você deixa ele em temperatura ambiente ou na geladeira. A parte que não for usar fica na geladeira mesmo não é isso? Obrigado e parabéns. Victor

Mitterrand disse...

Olá neide!!
Meu nome é Mitterrand fiz meu primeiro pão com fermentação natural, na verdade é o terceiro pão que faço na vida e deu certo, os outro eram com fermento seco!!! começei a fermentação na quarta a tarde, na quinta pela manhã estava fermentado, fiz o segundo passo o de colocar açucar e de tarde eu já coloquei os outros ingredientes óleo e ovo, também acrescentei aveia e linhaça triturada, quando cheguei da faculdade de noite tinha dobrado de tamanho fiz umas bolas e coloquei na forma elas aumentaram e pela manha assei e ficou muito bom!!!
O cheiro tomou a casa!!!
Fiz o pão numa assadeira que fica na boca do fogão, pois meu forno não funcona!!!
Acredito que como moro em Fortaleza e estamos no perído mais quente do ano o processo tenha sido mais rápido por causa do clima!!!
Minha dúvida!!! eu usei 200ml de esponja para 2 xicaras de farinha de trigo e 2 colheres de aveia com linhaça 1 ovo e 4 colheres de azeite - essa relação é boa ou devo acrescentar mais farinha?
na primeira fermentação surgiu um liquido um pouco amarelado no fundo o que devo fazer misturo a esponja ou descarto o líquido da mistura?
Quando eu estava sovando a massa começou a se partir é normal quando isso aconteceu eu parei de sovar e coloquei para descançar?
preciso usar o rolo ou posso fazer so com a mão, pois tem receita que diz que a temperatura da mão influencia a massa isso é real?
Nem tudo foi perfeito eu esqueci de colocar sal, ficou insosso!! rsrsrsrsrs!!! Mas a margarina ajudou!!!
Obrigado pela receita vou tentar fazer mais vezes!!!!
Um abraço!!!!
Como faço para mandar uma foto do pão!!!

Neide Rigo disse...

Mitterrand,
que bom saber que se aventurou. Ultimamente estou fazendo mais esta receita - ou pelo menos tenho seguido esta proporção. http://come-se.blogspot.com.br/2012/07/pao-do-zero-com-fermento-natural-levain.html
Dá muito certo. Não costumo mais usar ovos. E gordura, às vezes. Tenho simplificado. Mas esta coisa de pão com fermento natural é um mundo que a gente vai desvendando. Me mande foto no email neide.rigo@gmail.com.
Um abraço,n

POLICIAL disse...

Desde Agosto estou com o meu "Levain" que desenvolvi aqui em casa, com apenas farinha e água.... No início, os pães saíam "embatumados", mas mesmo assim, muito saborosos.... Agora, dois meses depois, insistindo em toda semana fazer pão com o fermento natural, meus pães estão a cada fornada, melhores e já não saem embatumados.... Ficam bem leves e muuuito gostosos. parece que o Levain é como o bom vinho, quanto mais "velho", melhor é...... mas aprendi que com o Levain não podemos ter pressa..... Começo a fazer meus pães por volta das dezenove horas, e só vou aasá-los na manhã seguinte, isto dá tempo do pão crescer.

Heron LopesJr disse...

Valeu as dicas!!! Vou começar agora mesmo a preparar o fermento! Depois mostro os resultados!!

Marco disse...

Neide, estou há tempos atrás da receita do fermento natural, achei outro dia num blog (o do pão de Jesus Cristo, com farinha, açúcar e sal). Funcionou, mas os pães ficaram muito azedos, tivemos que descartar, ninguém quis comer. Virou comida de peixes e patos no lago perto de casa... Agora estou tentando este só com farinha. Qual a dica para ficar menos ácido (azedo)? Obrigado por dividir seu conhecimento conosco.

rafaelsgarbulho disse...

Salve Neide! :) tive uma maravilhosa experiência com meu primeiro pão após o ciclo do fermento inicial. Deixei congelado o restante do fermento, ontem deixei fora da geladeira e fui utilizar hoje para minha nova leva de pães, contudo minha massa não cresceu. Meus palpites são: Não alimentei antes do novo uso, 2 - Pelo clima mais frio o fermento deveria ter ficado mais tempo fora, para chegar à temperatura ambiente. Enfim, vc teria mais dicas pra que eu tenha sucesso nas proximas vezes?

Ivete lisboa disse...

OI , Essa semana irei fazer panetones e gostaria de usar sua receita de fermentação natural, minha duvida é;Vou fazer cerca de 20 a 30 panetones, qual a quantidade de fermento eu devo fazer e com que antecedência pra que fiquem perfeitos?